Anúncios

News: Primeira edição do Randon Talks!

No Comments

As Empresas Randon, através do IHR – Instituto Hercílio Randon, promoveram a primeira edição do Randon Talks!! Foi uma noite repleta de “feras” em um mesmo palco!! Realizaram palestras sobre o futuro do trabalho e o ecossistema das startups, para um público de mais de 500 pessoas, o Futurista e Co-fundador da Aerolito, Tiago Mattos e o CEO da ACE Aceleradora, Pedro Waengertner. Realmente, foi uma grande oportunidade à todos os presentes de refletir sobre a importância de aprender, desaprender e reaprender!!

Também compartilharam suas experiências e histórias de vida os CEO’s de três startups que já estão há algum tempo na estrada… Em um painel, mediado pelo colega Cesar Augusto, participaram a Bruna Guimarães da Gupy, o Eder Medeiros da Melhor Envio e o Alexandre Winck da Allexo Tecnologia. Obviamente pela temática proposta o painel final não deixou de contar com a participação do Pedro Waengertner!

O Randon Talks foi um sucesso desde a sua idealização. As inscrições quando abertas ao público interno das Empresas Randon esgotaram-se, em sua maioria, em menos de 2 horas!!! Importante destacar que parte dos ingressos foram destinados aos colegas da Marcopolo, bem como, de outras empresas e entidades que estão trabalhando juntas para fomentar um novo ambiente de inovação e colaboração na Serra Gaúcha.

Não menos importante, cabe destacar e reconhecer toda a equipe envolvida na idealização, organização e promoção do evento. O Randon Talks superou todas as expectativas!

Que venham muitas outras edições do Randon Talks!

Daniel Ely

 

 

 

Anúncios

Site Reflexões e Conexões está de cara nova. Confira!

No Comments

Liderança na Era Digital: Os Bons Gestores e o Líder Waze!

1 Comment

Vivemos um momento de profundas transformações em todas as áreas e campos de atuação, que, claramente, evidencia o período de transição entre duas Eras: Industrial e Digital. É uma transição sem precedentes, diferente de todos os outros momentos de nossa história. Um novo paradigma está em formação e irá requerer muita atenção e esforços daqui para frente. Períodos de transformação como esse são sempre mais desafiadores e incertos. Em meio a todo esse ambiente de incertezas, uma certeza continua inabalada: o protagonismo que os Líderes continuarão a exercer! A Liderança é atemporal e sempre será exigida, independentemente de qual for a Era, modelo de negócio ou contexto em que esteja inserida.

A má notícia é que Bons Gestores precisarão repensar e reposicionar seu papel o mais rápido possível. Caso contrário, seus dias podem estar contados!

Apesar de a Liderança continuar no centro das atenções, não se pode dizer o mesmo em relação aos Bons Gestores. As tecnologias exponenciais, cada vez mais, trazem facilidades ao trabalho de monitoramento, análise e follow-up dos processos internos. Transformando, assim, muitas das funções de gerenciamento realizadas pela gestão intermediária e de primeira linha. Talvez, isso possa resgatar o que sempre foi, por conceito, o principal papel de todos os gestores, ou seja, ser antes de tudo um Líder. A transformação de Bons Gestores em verdadeiros Líderes é uma via única para a sobrevivência desses profissionais no mundo corporativo.

O Líder Waze

Para melhor compreender essa transformação, podemos fazer uma analogia entre o aplicativo para smartphones chamado Waze e o tradicional sistema de navegação por satélite chamado de GPS (Global Positioning System). Nesse caso, os Bons Gestores seriam representados pelas funcionalidades do GPS tradicional e o Líder Waze, obviamente, pelo aplicativo.

Vejamos seis importantes diferenças entre ambos em termos de tecnologia, comportamentos e lógica de pensamento e atuação:

1 – O uso da Tecnologia e o uso de sua Comunidade

Ambos utilizam a tecnologia de navegação por satélite ou GPS como base de suas competências. Porém, o Líder Waze adiciona a essa tecnologia dados complementares, oriundos dos membros de sua rede e de sua plataforma de conhecimento. Líderes da era digital buscam, constantemente, novas e melhores formas de interagir com as suas equipes e partes interessadas.

O Líder Waze sabe que muitas das respostas necessárias para a solução de problemas não estão apenas nas informações fornecidas pelo GPS. Estão, principalmente, no conhecimento, informações e dados adicionais disponibilizados pelas pessoas que com ele interagem.

Já os Bons Gestores não estão muito preocupados em ampliar as suas conexões e redes de relacionamentos e conhecimento. Limitam-se a receberem as orientações de seus superiores e a executarem os processos da melhor forma possível. Utilizam, sobretudo, a sua experiência para a resolução de problemas no dia-a-dia. No entanto, estas informações não capturadas farão falta aos Bons Gestores na solução de problemas mais complexos, como também, para conseguirem administrar todas as suas demandas futuras.

2 – Orientação em relação aos Caminhos a serem seguidos

Bons Gestores oferecem de uma a duas alternativas de rotas as suas equipes. As mesmas são baseadas, principalmente, em suas experiências anteriores. Em analogia ao tradicional GPS, utilizam a última atualização dos mapas e rotas do seu software.

Já o Líder Waze busca apontar a melhor alternativa de trajeto a ser seguida para a realização de uma determinada atividade ou para a solução de um problema. A diferença é que ele o faz não apenas baseado em sua experiência pessoal, mas sim considerando todo o conhecimento e experiência das pessoas conectadas a sua rede ou comunidade.

Para que ele possa aproveitar todo esse manancial de experiências e conhecimentos, desenvolve um método ou plataforma para gerenciá-los. Além disso, possui flexibilidade para recalcular a sua rota a qualquer momento, em função da constante entrada de novos dados ou informações. E não se importa em alterá-la novamente, mesmo tendo feito isso minutos atrás. O objetivo principal é ser capaz de apontar o melhor caminho possível para alcançar o destino final.

3 – Agilidade de Aprendizagem

Uma das principais competências do Líder Waze é sua capacidade de aprender e desaprender a todo momento. Como está bastante conectado e possui uma série de informações oriundas de sua rede de relacionamentos, desenvolve uma agilidade de aprendizagem diferenciada.

O Líder Wazr utiliza a todo momento das experiências de sucesso dos membros de sua rede para repensar e alterar as suas próprias decisões ou orientações em relação a situações similares. Também se torna proativo junto a sua equipe na identificação de novos obstáculos e dificuldades.

Por outro lado, Bons Gestores, que se limitam ao uso de fontes tradicionais são, via de regra, reativos em relação a mudanças de rota. Buscam, primeiramente, repetir soluções de sucesso já experimentadas. Recalculam ou repensam as mudanças de curso apenas quando se deparam com os obstáculos ou quando não mais alcançam os resultados esperados.

4 – Forma de atualização do Software

Bons gestores precisam, de tempos em tempos, atualizarem o seu software para disponibilizarem melhores orientações e apoio aos membros de sua equipe. Para essa atualização é preciso que ele dedique um tempo específico de sua agenda. Geralmente o foco está, primeiro, em realizar a sua própria atualização e, depois, a de seus liderados.

O Líder Waze o faz diariamente através de suas interações junto à sua plataforma ou à comunidade de colaboradores. Registrando tudo em seu banco de dados/plataforma de conhecimento. Para melhor aproveitar todos os insights da rede, utiliza-se de novos métodos de inteligência artificial e análise |de dados.

Em relação ao seu comportamento, prioriza o tempo para realizar um processo honesto e legítimo de escuta e feedback. Consequentemente, consegue oportunizar a constante melhoria do seu processo decisório, bem como, de sua equipe.

5 – Lógica de Pensamento

O Líder Waze trabalha utilizando-se da tecnologia disponível do GPS, mas não se limita ou fica preso a ela. Opera em uma lógica de abundância. Não precisa ser detentor de toda a tecnologia e conhecimento para ser efetivo e assertivo em suas ações e decisões.

A fortaleza do Líder Waze está exatamente na força e no conhecimento dos membros de sua rede e o quanto eles estão dispostos a compartilhar o que sabem. Assim, ele estimula os membros de sua comunidade a entender que os dados que cada um fornece são muito importantes e irão ajudar a todos, inclusive, a eles no futuro. Além disso, ajuda seus liderados a compreenderem que, quando fornecem informações sobre as condições das estradas (eventuais colisões, lentidão do transito, etc.), estão ajudando a todos, mesmo que naquele exato momento isso não lhe traga nenhum benefício imediato. Aqui, se materializa a lógica da abundância!

Sabedor disso, o Líder Waze desenvolve processos e formas de reconhecer diariamente os esforços diferenciados para a melhoria do coletivo. Já os Bons Gestores continuam trabalhando na lógica de pensamento da escassez. Não conseguem se libertar da ideia de serem os detentores dos principais conhecimentos e tecnologias. Pouco estimulam os membros de sua equipe a trazerem novos dados e informações para desafiarem o sistema e, inclusive, discordarem de suas próprias orientações. Cria-se, então, um ambiente de baixo estímulo à inovação. Possivelmente, em sua ótica, potencializar pessoas que possam, eventualmente, possuir informações e/ou conhecimentos superiores aos seus, ainda represente uma grande ameaça para eles.

6 – Incertezas e Nível de Confiança

Bons Gestores terão dificuldades em avançar fora do que está previsto na última versão do software de seu GPS. Dessa forma, serão refratários a confiar em informações que não sejam oriundas da próxima atualização que virá da matriz. Estão mais presos, mentalmente, às diretrizes dos “especialistas” que estão atualizando e pesquisando as melhores alternativas de rota. Em ambientes ou momentos de incerteza, estes terão dificuldades em seu processo decisório. Aguardarão orientações dos seus superiores ou especialistas, pois neles depositam 100% de sua confiança. Essa maneira de operar será observada e copiada pelos membros de sua equipe. Se a organização for predominantemente composta por Bons Gestores, isso poderá paralisá-la em momentos de turbulência.

Enquanto isso, o Líder Waze possui um elevado nível de confiança no que é oriundo dos membros de sua rede de colaboração e está disposto a correr riscos! O Líder Waze possui uma “plataforma” de trabalho na qual consegue conectar cada necessidade ou problema a um portfólio de possíveis soluções. Assim, não fica limitado a processos tão rígidos ou orientações superiores para seguir em frente. Ao contrário, navega muito bem em cenários de dúvidas ou incertezas.

Seu segredo como líder está em sua constância de propósito, confiança nos membros de sua comunidade e na plataforma de conhecimento que ele desenvolveu.

De Bom Gestor a Líder Waze: por onde começar?

Como posso me transformar em um Líder Waze? Por onde posso começar? A resposta é que, para que essa transformação ocorra, Bons Gestores deveriam, antes de tudo, realizar uma profunda análise e reflexão sobre dois importantes aspectos:

Primeiramente, o quanto estão compreendendo todas as mudanças em curso. Estamos diante de uma transição, na qual a forma de pensar e agir são bastante distintas. Essa transição está gerando uma transformação profunda nas organizações e em nossas próprias vidas. Na Era Digital, diariamente, nos deparamos com uma enorme quantidade de novas siglas, expressões e tendências tecnológicas. Uma overdose de novidades! São alguns exemplos disso: Transformação Digital, Internet das Coisas (IoT); Mindset digital, Inteligência Artificial (AI) e Lógica de Abundância. Você realmente está dedicando o tempo necessário para analisar essas e muitas outras situações e conceitos que já estão em seu entorno?

Por fim, mas não menos importante e desafiador, buscar uma maior consciência do que é necessário fazer em relação a sua própria mudança.

Para ser um Líder Waze, você precisa ir além! Ative sua autoconsciência em relação ao seu ponto de partida e aos seus desafios futuros. Utilizar os seis pontos, anteriormente apresentados, pode ser uma boa alternativa para começar sua auto-reflexão!

Caso não saiba como fazê-la, vai uma dica: busque para cada um deles um feedback de pessoas que você considere como referência nessa transformação ou naquele determinado item. Tenho certeza de que elas, por já estarem com esse novo mindset de abundância, serão muito honestas com você. Obviamente, considerando que você esteja aberto à mudança!

No final de tudo, não podemos esquecer que somos oriundos de um processo de educação que não nos preparou para esses desafios. Fomos formados para trabalhar em uma indústria tradicional, linear e segmentada. Na maior parte de nossa história, convidaram-nos a descartar parte de nossos sentidos e focarmos o nosso processo de desenvolvimento no racional e no lógico.

Diariamente, vamos enfrentar processos pouco delimitados, que ocorrerão em ambientes de muitas incertezas, as quais necessitarão o desenvolvimento de redes de colaboração, que ainda não possuímos. Tudo isso em uma lógica de pensamento totalmente distinta à anterior. Precisaremos, imediatamente, resgatar todos os nossos sentidos e trabalharmos em níveis de confiança jamais pensados até então, se quisermos ter sucesso nessa nova Era.

Com certeza, não conseguiremos ser um Líder Waze e protagonizarmos as grandes transformações apenas aceitando o que nos é dito, tampouco, buscando todas as respostas no paradigma anterior.

O Líder Waze, antes de tudo, será fruto de sua própria vontade e motivação de se reinventar. Se não for dessa forma, continuará no grupo dos Bons Gestores!

 

Leia também outros artigos do autor:

Futurismo – Primeiras Descobertas

Conecte-se com o seu propósito!

Verdades e Vaidades

Matriz Ely de Autoavaliação Profissional

Parabéns: Você, realmente, é um agente de transformação!

De RH para RH: Um “salto quântico” se faz necessário!

Mudança Organizacional: Quando iniciá-la?

Enlace Reflexivo: Saiba como escapar desta armadilha…

A Gestão da Mudança e o Futebol

Futurismo – Primeiras Descobertas

1 Comment
Futurismo

Futurismo: Algumas perguntas que irão desacomodá-lo!

Como se darão as novas relações de trabalho na Era Digital? Como as tradicionais organizações da Era Industrial irão realizar uma transição para a Era Digital? Será que isso será possível para todas as organizações? Em alguns casos será realmente possível “conectar” esses dois mundos? Já existem situações reais de organizações tradicionais realizando essa transição? Como iremos nos posicionar para conduzir nossas carreiras neste novo contexto?

Do Linear ao Exponencial

A disciplina do Futurismo nos projeta para as possibilidades da Era Digital e outras que virão na sequência. Nos ajuda a refletir, pensar e explorar como as mudanças tecnológicas, da ciência e do mundo dos negócios irão impactar nossas vidas e negócios. Tudo isso com uma nova forma de pensar não linear e exponencial. Algumas transformações importantes e de alto impacto já estão presentes hoje, porém isso não se trata de Futurismo. Trata-se do Presente, que já nos atropela! O estudo do Futurismo só faz sentido se, a partir dele, visualizarmos possibilidades que nos apoiem na tomada de decisões no Presente.

Nem certo, nem errado.  O que importa são as possibilidades!

Futurismo, como citado por aqueles que se dedicam a esta exploração, não se trata de uma ciência exata. Tampouco, de algo que estamos 100% seguros de que ocorrerá, exatamente, da forma como vemos hoje. Não é uma verdade que se sobreponha a todas as outras. Mas com certeza é um olhar que desacomoda e nos tira de uma zona de conforto. E, principalmente, nos leva a uma profunda reflexão de como seremos protagonistas, ou não, em contextos futuros!

Futurismo: reflexões sobre possibilidades futuras

Pensando no Futurismo, decidi criar uma nova página/temática no site Reflexões e Conexões. Convido a todos a acompanharem as descobertas que eu venho realizando nos últimos tempos. Talvez, para muitos já inseridos totalmente na Era Digital, essas descobertas não sejam tão significativas. Entretanto, àqueles que começarão esta jornada do mesmo ponto de partida que eu iniciei, posso assegurar que será algo extremamente enriquecedor!

Exponencialmente Imprevisível

Se você busca por uma sequência lógica, linear de temas e conteúdos, lamento informar que este não é o lugar certo! Não tenho essa pretensão, tampouco a condição de ajudá-lo. Por hora, apenas compartilharei e deixarei registrados alguns links de vídeos, artigos, sites e pensadores que tenho acessado nos últimos tempos. Eles serão publicados, periodicamente, em Posts intitulados “Descobertas sobre Futurismo”. A partir disso, cabe a você explorá-los e , assim, fazer suas próprias Reflexões e Conexões.

 

Futurismo

Quem sabe, com a sua ajuda, outros links (que ainda não estão em meu radar) possam ser inseridos nos posts vindouros. No final ficará o registro de um caminho/trajetória possível de ser percorrido por qualquer pessoa interessada nesse tema.

Para provocar e despertar sua curiosidade, seguem os primeiros links que eu recomendo para o início desta jornada:

1 – Sugestão de Leitura:  Organizações Exponenciais: Por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito)?  The Singularity is Near When Humans Transcend Biology de Ray Kurzweil

2 – Sugestão de Curso on-line: Friends of Tomorrow – Futurismo + Futuro do Trabalho + Três Revoluções Pós-Internet

3 – Vídeos: Actualizing The Human Imagination de Jason Silva e Respect Abundance – SingularityU New Zealand com Tiago Mattos

Estes e outros vídeos você visualiza através do menu YouTube e Sites ou diretamente no Canal Reflexões e Conexões no Youtube

 

Leia também outros artigos do autor:

Liderança na Era Digital: Os Bons Gestores e o Líder Waze!

Conecte-se com o seu propósito!

Verdades e Vaidades

Matriz Ely de Autoavaliação Profissional

Parabéns: Você, realmente, é um agente de transformação!

De RH para RH: Um “salto quântico” se faz necessário!

Mudança Organizacional: Quando iniciá-la?

Enlace Reflexivo: Saiba como escapar desta armadilha…

A Gestão da Mudança e o Futebol

%d blogueiros gostam disto: